quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Inauguração de "Sombras do (In)visível" - Carolina Quirino / "Estremoz - Exposição para a IV Bienal do Porto Santo"; Estremoz: Comemorações dos 200 anos da Batalha de "Fuente de Cantos" e do 303º Aniversário do Regimento de Cavalaria 3


- Comemorações dos 200 anos da Batalha de "Fuente de Cantos" e do 303º Aniversário do Regimento de Cavalaria 3
- Inauguração de "Sombras do (In)visível" - Carolina Quirino / "Estremoz - Exposição para a IV Bienal do Porto Santo", Estremoz



PROGRAMA da Cerimónia Militar do Dia do Regimento de Cavalaria 3, 15 Setembro 2010
07h00 - Alvorada








08h00 - Içar da Bandeira Nacional
08h00/09h00 - Chegada e recepção de convidados ao RC3
09h30 - Cerimónia Militar
Chegada da Alta Entidade que preside à cerimónia
Continência à AE
Homenagem aos militares mortos em campanha
Alocução pelo Exmo. Cmdt. do RC3
Mensagem de S. Exª. o Gen. CEME
Imposição de condecorações
Entrega do "Prémio Mouzinho"  
Desfile das Forças perante a AE 
10h45 - Sessão solene na Câmara Municipal de Estremoz 
11h30 - Emissão Filatélica e inauguração da Exposição Temática sobre a Guerra Peninsular 
12h20 - Assinatura do Livro de Honra do RC3 por S. Exª. o Presidente da Assembleia da República (PAR), Dr. Jaime Gama 12h30 - Saída de S. Exª. o PAR 
12h45 - Almoço nos Claustros do Convento de S. Francisco no RC3 
14h30 - Inauguração da Exposição Temática da Bienal de Porto Santo 15h00 - Apresentação da Charanga a Cavalo da GNR 15h30 - Actuação da "Reprise da Escola de Mafra"

terça-feira, 14 de setembro de 2010

"The purpose of art is..."

‎"The purpose of art is not the release of a momentary ejection of adrenaline but rather the gradual, lifelong construction of a state of wonder and serenity."
Glenn Gould

terça-feira, 7 de setembro de 2010

"A Cor do Jazz" - Exposição Colectiva de Pintura

Carolina Quirino, Cecília Henriques, Jolanta, Rikveile, Rui de Jesus

Speakeasy Bar
7 Setembro - 7 Outubro 2010

Localização: Cais das Oficinas, Armazém 115, Rocha Conde d'Óbidos, Lisboa

sábado, 4 de setembro de 2010

"Sombras do (In)visível"

Projecto de pintura em campo expandido - "Estremoz - Exposição para a IV Bienal de Porto Santo", Museu Municipal de Estremoz, 15 Setembro-15 Outubro 2010


Carolina Quirino
Sombras do (In)visível
Esmalte acetinado sobre lona
750 x 150 cm
2010





O projecto "Sombras do (In)visível" integra-se na pintura em campo expandido que tenho vindo recentemente a desenvolver.
Os elementos compositivos apresentam-se como a transfiguração de um mundo concreto em uma realidade enigmática, que despoleta uma multiplicidade de sentidos.
As sombras surgem como uma existência autónoma mas, simultaneamente, compõem um jogo visual de presença/ausência, são os indícios de algo objectivo e a alusão indecifrável ao modo como apreendo o quotidiano, em que o contraste entre o preto e o branco cria uma tensão perceptível entre o positivo e o negativo espacial.
Aqui, a redução cromática pode equivaler a um universo, uma pequena gota pode equivaler a um oceano, um pequeno traço pode corresponder à história de uma vida; tudo é válido -afinal, as sombras serão eternamente a essência existencial de algo ou alguém…

Carolina Quirino
Julho 2010

(texto integrado no catálogo da exposição)


"Além da razão – Carolina Quirino", Miguel Proença

"Vermelho ou preto servem de fundo, de “zero”, para estas pinturas de Carolina Quirino. A partir deste “zero”, também de Malevich, negador da ordem perspéctica, a jovem pintora vai depositando vestígios da exteriorização de uma dialéctica entre continuidade e interrupções, entre presença e ausência. A ordem em si não aparece como um a priori, mas o resultado deste processo dialéctico em cada tela aponta precisamente na direcção de uma ordem simultaneamente contínua – as formas orgânicas emergentes das pinceladas - e binária – a factura cromática através de duas cores ( preto e /ou vermelho e/ou branco).
Se a dialéctica é um dos processos da razão, a “tri-aléctica” do conjunto cromático empregue nestas pinturas leva-nos justamente a contemplar uma hipótese além da razão binária, novamente tocando Malevich por este lado, e imergindo no automatismo psíquico surrealista por outro. E é justamente no sentido de uma procura simultaneamente interior — as formas orgânicas – e exterior – a cor binária –  para onde vai este trabalho."

Miguel Proença


Exposição "Re-Inícios - Contrastes,Pontes e Uniões", Casa das Artes de Tavira, 7 Agosto-11 Setembro 2010, Curadoria de Ilídio Salteiro e Co-Produção da Associação Arte Contempo